Análise de Mercado – Brasileirão 2021 – Parte II

Análise de Mercado – Brasileirão 2021 – Parte II
Pedro Henrique

Seguindo nosso primeiro artigo, continuamos explorando reforços para as 20 equipes da Série A, baseados em nosso sistema de Big Data que minimiza erros e garante a maior possibilidade de retorno esportivo e/ou financeiro.


15. Fluminense

O tricolor das Laranjeiras vem fazendo uma excelente campanha na Libertadores, porém o mesmo não se repete no Brasileirão. O Clube está em uma posição delicada na tabela, na qual encontra-se muito próximo a zona de rebaixamento e uma série de maus resultados pode complicar a situação do clube carioca. 

Notas abaixo da média em desarmes, interceptações e duelos aéreos, tal como em dribles, passe curto e posição de destino dos passes indicam que apenas um reforço dificilmente supriria todas as necessidades do time.


A solução

Com dificuldade para se firmar no Grêmio, Lucas Silva mostrou as qualidades faltantes à equipe do Fluminense nos poucos minutos em que atuou na Série A. O ex-Real Madrid atuou em apenas 25% dos minutos possíveis do Brasileirão este ano e seria um trabalho de recuperação do atleta, apesar de um certo grau de risco, pode ser uma operação ideal para todas as partes envolvidas, resta saber se o Grêmio liberaria o jogador para um possível rival na batalha do rebaixamento. 

14.São Paulo

Tal qual o Grêmio, o São Paulo vem tendo uma temporada decepcionante na liga. Após o título paulista era esperado que a equipe comandada pelo argentino Hernán Crespo figurasse entre os primeiros colocados desde o início do campeonato, todavia uma série de resultados inesperados deixa o time no páreo para o rebaixamento no presente momento. 

Jogando a maior parte do tempo em um 3-5-2, chama a atenção o baixo volume e qualidade das posições de finalização do São Paulo. Apesar de ter uma entrega (delivery) acima da média, a margem é pequena e aquém do esperado para um time que como o tricolor paulista é esperado que brigue por títulos constantemente.


A solução

Encontrar um atleta que tenha a habilidade de criar e finalizar jogadas com qualidade é uma dura tarefa, todavia um atleta que tem um bom equilíbrio entre essas duas valências é Gustavo Bou, do New England Revolution. Formado no River Plate, o conterrâneo de Crespo viveu seu melhor momento no Racing, antes de ser vendido para o futebol mexicano e então para a MLS. Com o contrato acabando no final deste ano, uma oportunidade de negócio por um valor abaixo do mercado surge. 

 


13. Bahia


A equipe Baiana encontra-se em uma zona mais segura da tabela, mas é necessário atenção e regularidade para que a que a linha tênue entre competição continental e rebaixamento termine com um final feliz para o tricolor. 

A equipe possui um desempenho médio satisfatório, com alguns atributos acima da média do campeonato, todavia, após saídas de atletas como Gregore e Juninho, que eram cruciais para a estrutura defensiva, fica evidente a necessidade de melhorias em enfrentamentos quando a equipe não tem a posse.

A solução 


Ianson é um dos pilares da equipe do Brusque, que vem ascendendo rapidamente no futebol brasileiro. O zagueiro tem excelentes qualidades defensivas tanto no chão quanto em disputas aéreas, bom posicionamento e é confiável na saída de bola, com qualidade de passe satisfatória. Com 26 anos o atleta está aproximando-se da fase onde há a melhor performance e isto pode torná-lo um defensor confiável na Série A. Sendo pelo Brusque, Bahia ou outra equipe, Ianson mostra semanalmente que irá estar na elite do futebol brasileiro em breve. 

12. Juventude

A equipe gaúcha tem, por enquanto, a melhor campanha entre as promovidas à elite do futebol brasileiro, todavia a performance do clube indica que uma queda de rendimento pode acontecer a longo prazo. Dos 8 quesitos ofensivos a equipe encontra-se abaixo da média do campeonato em 6, dos defensivos são 4 dos 8 EPIs que estão aquém do esperado. 

 

A baixa nota em passes e entrega reflete a dificuldade em manutenção de posse e criação do time, tal como o baixo valor em qualidade da posição de finalizações. Um atleta com capacidade criativa e boa tomada de decisão para manutenção de posse e progressão quando há oportunidade pode ser o diferencial para o Juventude no restante do campeonato.

A Solução


Outro atleta do The Strongest, o brasileiro Willie está em sua segunda temporada na Bolívia, após passagens por clubes brasileiros e Europa. O atleta lidera o ranking de meio-campistas da Liga Boliviana em qualidade e importância de dribles, passes, eficiência de finalização, locais e volume de finalização e locais de recepção de passes. Além disso tem bom desempenho em desarmes tanto em posições de valor ofensivo como defensivo, tornando-o um atleta bem completo. 

 


11.Corinthians


A equipe paulista vem enfrentando dificuldades no campeonato brasileiro. Giuliano e Renato Augusto foram contratados para trazer experiência e qualidade técnica à equipe. Atletas com boas valências de criação, como passe e visão e no caso de Renato Augusto, colaboração com responsabilidades defensivas. 




O Timão tem dificuldades em criar chances claras de gol, tendo em vista o valor de chutes, que está abaixo da média do campeonato. A distribuição de posse de maneira progressiva também é um ponto de melhora possível para a equipe.


A Solução



O argentino Francisco Fydriszewski pode ser uma grande opção para o ataque corinthiano. Apesar de, por questões táticas, não contribuir defensivamente da maneira necessária para um atacante da equipe na atual temporada, quando expandimos o período de tempo de sua performance, notamos que o atleta possui os atributos necessários para pressionar defensores e recompor. São 3 gols em 6 jogos para o atacante de 1.83m na primeira divisão equatoriana. 

AMANHÃ: SANTOS, INTERNACIONAL, CEARÁ, ATLÉTICO GOIANIENSE E ATHLETICO PARANAENSE.

Tem alguma sugestão de artigo? Mande para nós

Quer saber mais sobre o Scoutpanel?

Gostaria de entender mais sobre os critérios de nossa análise?