Análise de Mercado – Brasileirão 2021 – Parte III

Análise de Mercado – Brasileirão 2021 – Parte III
Pedro Henrique

No terceiro artigo de nossa série sobre reforços, exploramos as equipes da 10a à 6a colocação e o que é necessário para que elas garantam futebol continental ao final do campeonato.

10. Santos

 

A equipe de Fernando Diniz ainda não conseguiu emplacar uma sequência de resultados e performances convincentes, encontrando-se no meio da tabela. Como é esperado a equipe possui boa relação com a bola e boas notas para passe, recepção e distribuição, todavia tem uma fragilidade defensiva que pode ser explorada por adversários.

 

A fragilidade aérea da equipe é preocupante e pode custar pontos cruciais no decorrer do campeonato, por isso é necessário encontrar um defensor com boa presença aérea. Encontrar um defensor dominante pelo ar e com qualidade na saída de bola, fator essencial para o modelo de jogo da equipe, se faz uma tarefa necessária para o aprimoramento de performance do time.


A solução

Léo Pereira tem dificuldades em se firmar no Flamengo, todavia é um atleta que possui todas as características necessárias para reforçar o Santos. Recuperar a confiança e forma do atleta durante um campeonato é arriscado, os dados apontam que o atleta poderia ser de grande valia para a equipe praiana em termos de performance. 

9. Internacional

A equipe colorada não consegue repetir as boas atuações de 2020, quando foi candidata ao título. A dificuldade de encontrar regularidade e um padrão de jogo que tenha êxito independente do adversário são alguns dos desafios do time gaúcho. 


A dificuldade em interceptações faz com que o Inter tenha um processo mais árduo para recuperação de posse, permitindo o avanço do seu adversário e exigindo um maior esforço da equipe para chegar ao terço final quando recupera a bola. Também é notável a dificuldade como um todo em duelos 1×1 ofensivos, dificultando a criação de espaços contra times compactos.

A Solução

Com contrato até final do ano no Peñarol, Augustin Canobbio é um atleta versátil. Com apenas 22 anos, o jogador que já frequentou as seleções de base uruguaias pode jogar pelas duas pontas e também como ala, possuindo um bom equilíbrio em performance defensiva e ofensiva. O Inter, no entanto, deve ter cautela ao considerar mais um estrangeiro para seu elenco. Apesar de ter alguns valores próximos, Canobbio é mais completo nos quesitos avaliados e pode também aumentar a competitividade interna da equipe.

 


8. Ceará

O Vozão vem fazendo boa campanha com Guto Ferreira. Com boa regularidade, equilíbrio entre performance ofensiva e defensiva e bons resultados na temporada, a equipe ocupa a 8a colocação e almeja se firmar em uma posição da Sulamericana, ou quem sabe brigar por uma pré-libertadores. Para tal, todavia é necessário uma melhora pontual na equipe.


Com boa performance ofensiva e a maioria dos valores ofensivos dentro da média, uma melhora súbita no desempenho pode fazer grande diferença no restante da temporada. Apesar de ter índices de interceptações baixos, o Ceará possui um excelente valor de passes bloqueados, isto é, quando a bola é recuperada a uma distância muito próxima do adversário para ser uma interceptação e muito distante para ser um desarme. O Ceará, no entanto, é apenas a 17a equipe em desempenho defensivo, havendo uma boa margem para melhora.

A solução

A resposta pode estar no Barcelona … do Equador. Uma operação difícil, tendo em vista que Michael Carcelén está emprestado a equipe até o final do ano, todavia a possibilidade de jogar a Série A, pode ser apelativa para o atleta de 24 anos que demonstra bom desempenho com e sem a bola.

 


7. Atlético Goianiense

A equipe Goiana tem obtido resultados importantes e positivos no campeonato. Sob o comando de Eduardo Barroca, todavia muitos índices encontram-se abaixo da média, principalmente os ofensivos. A equipe é a única das 11 primeiras com saldo de gol negativo.

 

 

A equipe possui valores muito abaixo da média em passe, entrega, posição de finalizações e dribles. No decorrer do campeonato a tendência é que tais dificuldades fiquem em maior evidência e culmine na perda de pontos. Com a perda de Arthur Gomes a equipe perdeu uma peça ofensiva e repô-la com assertividade é essencial.


A Solução

Jairo Velez, do César Vallejo, apresenta grande versatilidade em posições ofensivas. Apto a jogar em ambas as pontas e como meia, tal versatilidade pode promover boas opções de rotatividade do elenco e manter um elevado nível de competitividade interna. O canhoto de 26 anos tem contrato até final desde ano, um potencial facilitador de uma transferência. 

 

6. Athletico Paranaense

Os comandados do português Antonio Oliveira veem fazendo uma excelente campanha no Brasileirão e esperam disputar a Libertadores do ano que vem. Concisa e eficiente em suas partidas a equipe vem firmando-se no primeiro escalão do futebol brasileiro recentemente, todavia, há uma fragilidade que deve ser melhorada. 




As baixas notam em quesito defensivo, que nesse caso são escaladas de acordo com a posse da equipe, mostram certa dificuldade em recuperar a bola após a perda de posse. Não só para o restante do campeonato brasileiro, mas também para futuras competições é necessário a melhora destes quesitos, tendo em vista que adversários qualificados ofensivamente podem tirar proveito desta dificuldade com transições rápidas e bem executadas.

A solução

O Furacão tem um histórico de buscar jovens talentos com potencial de impacto no time principal, mas ainda com margem para desenvolvimento. Neste perfil e com as valências necessárias para o desenvolvimento da equipe, o meio-campista César Araújo, do Montevideo Wanderers. Nascido em 2001, o Uruguaio tem excelente performance com e sem a bola. 

AMANHÃ: FLAMENGO, RB BRAGANTINO, FORTALEZA, PALMEIRAS E ATLÉTICO MINEIRO.

Procurando outras equipes? Veja a Parte I e Parte II de nossa análise.

Tem alguma sugestão de artigo? Mande para nós

Quer saber mais sobre o Scoutpanel?

Gostaria de entender mais sobre os critérios de nossa análise?